Sempre do Mesmo

Sempre do mesmo. Acabas rodando e fugindo E caindo no mesmo lugar. Mas nem percebo. Digo frases que não devo. Faço coisas que não penso. Acabo sozinha no meu quarto a chorar. Por saber demais e não acreditar no que vejo. Por se iludir demais E não tomar a atitude que devo. E é sempre … Continue lendo

Esperanças II

Eu espero horas imaginando coisas. Esperando o telefone tocar. Esperando respostas. Esperando por um milagre. Esperando que talvez a gente possa se acertar. Como era antes. Quando era fácil. Ser feliz sem porquês. Sem chateações. Sem promessas. Sem cobranças. Apenas planos pelo café. Sorrisos sem palavras. Se nada mais é o que parece. O que … Continue lendo

Dia Cinza

Dia cinza assim como a minha solidão. Não faz nem tanto tempo. Eu vivia de ilusão. Fujo de promessas. Procuro conquistar o que nem sei. A noite chega. E nem sei o que esperar. Queria te ver chegar. Por aqui permanecer E em teu peito adormecer. Adriana Freitas A reprodução do texto está autorizada desde … Continue lendo

Depois da Espera

Quanto mais o coração aperta. Mais a saudade aumenta. Não sei o que está por trás da espera. Se é lembrança. Ou sofrimento. O vazio é grande. E cresce mais por dentro. Já não sei o que mais encontrar. Depois da espera. Se é aconchego. Ou tormento. Sei que o coração diminui. E a saudade … Continue lendo

Um Filme Muito Antigo

Aqui estou eu com minha coleção De amores perdidos. Figurinhas bem passadas. Num filme muito antigo. Aqui eu faço recordações de minha vida. Recordando momentos. Noites não dormidas. Dou um passeio na memória. Lembrando de cada história. De cada despedida. Lembrando do gosto do choro. Muitas vezes engolido na saliva. Numa noite qualquer. De um … Continue lendo