A borboleta

butterfly

Quando cria asas.

A borboleta voa para nunca mais voltar.

Vivendo por um dia.

E se julgando por uma eternidade.

Esquece-se de casa.

Esquece-se da morte.

Até que o dia escurece.

Perdendo-se as forças.

Borboleta pousa.

Feliz por seu dia.

Viveu. E quem dirá que não?
Adriana Freitas
A reprodução do texto está autorizada desde que a fonte/autoria seja citada.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s