Saudade

Olhai por nós que ficamos.
Orai por aquele que ruma ao desconhecido.
Quantas vezes não pedimos.
Mas somos livrados do perigo.
Pros que ficam
Saudade.
Pros que partem
Não é tarde.
É cedo.
É pedido um recomeço.
Mas como se acostumar com o pior?
Como será possível distanciar a dor?
Se ela já mandou um recado dizendo que vinha.
Só não disse quando.
Mas que agonia.
Saber que um dia chega.
Mas que esse dia sempre atrase.
Pros que vão recomeço.
Pros que ficam
Saudade.
Adriana Freitas
A reprodução do texto está autorizada desde que a fonte/autoria seja citada.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s