Naquela praia

solidão praia

A praia estava calma
E o mar violento
Aquela tarde penetrou a minha alma
E levou tudo que eu tinha por dentro
O vento se agitava
confirmando a violência das palavras.
Elas foram metralhadas lentamente.
Mas foi o suficiente para arrancar toda a semente.
Aquela semente que foi plantada.
Estava sendo bem regada.
Mas arrancaram a raiz.
E o que sobrou daquela planta?
As folhas murchas.
A cicatriz.
A reprodução do texto está autorizada desde que a fonte/autoria seja citada.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s