Esperas

Esperas II
Detesto essa angústia que sufoca o peito.
Observando o tempo passar.
E a incerteza dos fatos.
Seria tão bom sem essa espera.
Seria mais fácil.
Essa emoção que não passa.
O coração descompassa.
A paciência se limita.
Os devaneios do coração.
Negando até onde pode.
Mas já entregue.
Sem saber como agir.
Depois que se deixou cair
Em tais mãos.
A reprodução do texto está autorizada desde que a fonte/autoria seja citada.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s