Displicência

displicencia
Ele finge não se importar.
Agindo com displicência.
Ele tem medo de amar.
E me faz perder a paciência.
Não quero ter que ensinar.
Para o amor não existe ciência.
Cada um é livre para optar.
O que mais se aproximar com a sua essência.
Quantas vezes disse que cansei.
Ele parece não acreditar.
Não queria mais uma vez ter que bater a porta.
Mas é a única saída para me libertar.
A reprodução do texto está autorizada desde que a fonte/autoria seja citada.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s