A Flor


E ele roubou a flor mais bonita do jardim.
Colocou a culpa em sua beleza.
De tão bonita
Exibia-se,
Maltratando sua visão.
Pedindo para ser tocada.
Pedindo para ser levada.
Hora essa quem já se viu de tão bela?
Mostrar-se por aí
Matando todas as outras flores de inveja.
E despertando o desejo dos transeuntes.
A culpa será mesmo dela?
Que culpa se tem em nascer-se bela?
Deveria ela se esconder?
A culpa é mesmo dela?
Ou dos olhos maldosos
Que não conseguem conter seus anseios?
E adultera tão bela flor.
Arrancando-a do seu seio.
E a transformando em tristeza.
Não.
A flor não é culpada por sua beleza.
Adriana Freitas
A reprodução do texto está autorizada desde que a fonte/autoria seja citada.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s