Confusões


Nem sei se é amor.
Acho que é carência.
Não posso ouvir um bom dia.
Já imagino o nome dos nossos filhos.
A nossa festa de casamento.
A vida que teremos juntos.
Não é amor.
É falta de atenção.
É projeção em fantasias.
Daí a frustração.
Olhos inchados frente ao espelho.
Aquela velha dor machucando o peito.
A culpa não é sua.
Fui eu que criei expectativas demais.
Projetei demais.
Sonhei demais.
Agora pago o preço.
É só meu esse desespero.
Eu sei que depois passa.
Como tudo na vida.
Espero que eu aprenda um dia.
A ter paciência.
A não confundir gentileza
Com carência.
Adriana Freitas
a reprodução do texto está autorizada desde que a fonte/autoria seja citada.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s