Dança da Solidão


Solidão de quem dança só.
Passos lentos.
Cantos únicos.
Vontades que se perdem.
Solidão nem sempre é falta de companhia.
Às vezes é vontade.
Estado de espírito.
É a tentativa de fuga do ser.
Ou desejos confusos.
Solidão vem e vai.
Nem sempre se chama.
Nem sempre se deseja.
Às vezes é só mais uma dança.
Às vezes é só dança mesmo.
Adriana Freitas
A reprodução do texto está autorizada desde que a fonte/autoria seja citada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s