Medo


Não queria me sentir assim.
Com medo da vida.
Com medo do que pode acontecer.
Me sinto presa.
Incapaz de agir.
O medo vem e me coloca no colo
Me prendendo as pernas.
Não consigo correr.
Não consigo chorar.
Nem me mexer.
Eu só penso o que não quero.
Eu só faço o trivial.
Com medo das manhãs
Eu sigo sem abrir os olhos.
Adriana Freitas
A reprodução do texto está autorizada desde que a fonte/autoria seja citada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s