Quietude

E é sempre do mesmo jeito.
Palavras não ditas.
Olhares distantes.
Emoções escondidas.
O medo vem á tona.
O desconhecido mais uma vez bate a porta.
E não se sabe o que fazer.
Se ri ou chora.
Se agarra ou deixa ir.
Espera passar os dias.
Não quer se antecipar.
Deixar as coisas acontecerem.
Amar e se deixar amar.
Adriana Freitas

A reprodução do texto está autorizada desde que a fonte/autoria seja citada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s