As horas

As horas custam a passar.
Mesmo escrevendo lentamente.
Mesmo sonhando.
As horas se arrastam.
Como pirraça.
Ao meu coração.
E mais uma vez espero.
E mais uma vez me desespero.
E a hora custa a passar.
E se arrasta.
E arrasa comigo.
Minha criatividade se vai.
Enquanto à hora não passa.
Não tem mistério.
Eu espero.
A reprodução do texto está autorizada desde que a fonte/autoria seja citada

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s