Prudência


Sonhei demais.
Esperei demais.
Até acordar.
Até perceber que eram apenas expectativas.
Os pés foram rápido ao chão.
A aterrissagem doeu.
Mas fortaleceu.
Não deixei de sonhar.
É um defeito.
Sei lá.
Mas as expectativas ficaram de lado.
Sem mais.
Não é medo.
É apenas prudência.
Cuidado de quem já sofreu.
Receio de mais uma vez se machucar.
Adriana Freitas
A reprodução do texto está autorizada desde que a fonte/autoria seja citada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s