Afogo

Eu não vou me matar.
Mas às vezes gostaria de morrer.
Fugir de mim.
Sumir.
Deixar de sentir
Toda essa agonia que sufoca o peito
E me inunda.
Aí transbordo em lágrimas.
Na tentativa de aliviar toda a pressão
Que não sei da onde vem.
Só sei que paralisa o meu riso.
Aí escrevo.
Invento personagens.
Crio situações.
Viajo pelo mundo.
Saio de mim.
Adriana Freitas

A reprodução do texto está autorizada desde que a fonte/autoria seja citada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s