Paixões

paixoes
E aquele frio que congela o estômago.
Faz o coração bater de forma estranha.
Suspiros saem inconscientemente.
Vontades e desejos se misturam
Com o medo de não se ter quem se quer.
As borboletas habitam e se agitam
Num estômago já fragilizado
Pela incerteza do depois.
E o que se pode fazer?
Não se tem remédio.
Viver cada manhã como se fosse a única.
Amar como se amanhã o mundo fosse se acabar.
A reprodução do texto está autorizada desde que a fonte/autoria seja citada.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s